Elocubrar é a variante de lucubrar, compor uma obra com esforço, a custa de muita meditação. Literatura que se faz espremendo o cérebro. (O Autor)-------O Bom humor é a medida absoluta da inteligência do ser humano. (Nietzsche).

Thursday, 2 August 2007

Leitor tacanho

Um jornalista de um certo blog recebeu um comentário indecoroso de um leitor. Depois de uma garimpagem, o jornalista conseguiu colocar algo de civilizado para que os outros leitores soubessem do que se tratava.

“...quem você pensa que é falando dessa maneira e arrotando comportamentos por todos os cantos? Que ‘riiidiculo’! Cuidado que as coisas podem piorar para o seu lado...”

A resposta ao leitor tacanho.

“...arrout!”

“Que absurdo! Você não tem senso de ridículo de me dar este tipo de resposta? Estava esperando de você algo do gênero Trotsky ou pelo menos um desaforo ‘a la’ Gramsci ou Chaves! Mas como um bom direitista nada mais próprio do que Isso. Não sabe argumentar!”

A tréplica ao leitor tacanho.

“...(flatos)”

“Como? Sua mãe não te deu educação? Sua vó não te deu educação? Sim. Porque a elite branca e racista brasileira é criada pela avó. Essa direita brasileira não presta! Prefere apelar! Cadê sua intelectualidade? Cadê seu Smith? Você deveria se educar com o Paulo Freire e vai tomar no meio do seu....”

O jornalista em sua sábia intervenção:

“...(flatos)...pausa...(flatos) e mais (flatos).”

“Como foi que conseguiu subir na vida? Com certeza foi através de algum ente político de direita. De outra maneira não teria capacidade de trabalho, quanto mais de pensar.”

O jornalista enfiou a mão nas axilas e a apertou produzindo um estranho barulho.

“Seu pequeno-nojento-burguês! Saiba que a hora esta por vir, e que a revolução socialista chegará e te calará.”

A conversa continuou neste nível, quando o esquerdista sem mais nenhuma argumentação iniciou uma série de xingamentos. Que não importava mais ser colocado em público. O jornalista com isso mostrou a real linguagem da esquerda brasileira, impropérios, vilipendios e xingamentos.

Moral da história:

“A Escatologia foi á ciência que a esquerda brasileira inventou.”

  • Posted: Thursday, 2 August 2007 15:18:34 GMT
  • In: FEBEAPA
  • Permalink : Leitor tacanho
  • Comments: 3
  • Viewed 950 times.

PLAZA DE MAYO

PLAZA DE MAYO

...alguns meses depois do acidente onde nada aconteceu, uma senhora que teve os filhos mortos no acidente, inspiranda nas Mães da Praça de Maio, foi a Brasília. Todos os dias as nove horas da manhã ia para a porta do Palácio do Planalto. Vestida de preto com um lenço preto na cabeça segurando seus longos cabelos brancos. Em Brasília venta muito. Portava uma placa com os retratos dos filhos e uma frase: “O governo é responsável pela morte de meus filhos.”.

Precisou de poucos dias até ser percebida pela imprensa. Tentaram entrevistá-la, mas ela nada falava. Quando ela ganhou as paginas dos jornais, um porta voz da presidência tentou dissuadi-la do protesto. Mas ela nada falava. Por mais que insistissem ela nada falava. Permanecia em seu silêncio e cada vez mais doloroso protesto. A polícia foi chamada para tirá-la de lá, mas foram rendidos com um único olhar. Um olhar de dor, somente dor. Nada mais.

“Porra! Não vai tirar essa velha daqui?” – Disse um assessor da Presidência ao policial.

“Tira você.” – Lá foi o assessor tirá-la. Esbravejou com ela, palavras como vergonha, louca, traidora da pátria. E palavras mais duras como vagabunda e outras mais.

Mas ela nada ouvia, ficou parada olhando firme para o assessor. Irritado o assessor tomou a placa das mãos da Mulher e a empurrou. Ela se virou e saiu. Dois dias depois retornou com a mesma placa. O governo foi aconselhado que não fizesse mais nada pois cedo ou tarde ela desistiria.

Mas todos os dias de manhã, Lula a via na entrada do Palácio, resolveu mudar o itinerário e entrar por trás para não vê-la. A primeira dama foi tentar falar com ela, mas ao chegar perto desistiu. Sentiu a dor da mulher. Alguns dias depois ela não estava sozinha, havia mais outras mulheres e alguns homens com placas com fotos de seus parentes mortos nos acidentes. Sempre quietos. Nada falavam.

A cada dia que passava aumentava mais e mais o número de pessoas. Mas a mulher se destacava pelo silêncio. Um dia Lula resolveu falar com ela, pois aquele protesto ganhou repercussão mundial e sua popularidade estava em baixa.

Cercado de guarda-costas e da imprensa ele desceu, foi logo fazendo cara de luto. Mas quando viu os olhos da mulher não conseguiu sustentar a falsidade, ficou desmascarado. Como o dedo em riste ela disse:

“Você é o maior responsável pela morte de meus filhos. Quero que leve isso para o resto da sua vida.”

Ela colocou delicadamente a placa com seus filhos nos pés dele levantou-se e foi embora.

Era só isso que ela queria.

  • Posted: Thursday, 2 August 2007 14:52:38 GMT
  • In: FEBEAPA
  • Permalink : PLAZA DE MAYO
  • Comments: 3
  • Viewed 874 times.
Page 1 of 1. Total : 2 Posts.